+ ver mais datas

Editora Europa


Quem somos


Fundada em 1986, a Editora Europa publica regularmente 15 revistas temáticas, afora guias, livros ilustrados e literatura. Atualmente, com mais de 100 funcionários, a Editora Europa é uma empresa de capital 100% brasileiro.

Uma Breve História


No primeiro semestre de 1986, o mundo estava em crise. A União Soviética dava mostras de estar indo a pique; o general Pinochet decretava estado de sítio no Chile; um vazamento de urânio na usina atômica de Chernobyl fazia centenas de vítimas e a Challenger, o orgulho da tecnologia espacial norte-americana, explodia no ar minutos depois do lançamento. Mas no Brasil, com o Plano Cruzado, a vida era bela e o futuro, alvissareiro. Tão promissor que quatro executivos da Editora Abril juntaram as economias e largaram seus bons e velhos empregos para montar uma nova editora. “Uma editora com todas as virtudes da Abril, e nenhum dos defeitos”, dissera um deles.

Em todo caso, a Editora Europa só começou a funcionar no dia 11 de dezembro de 1986. Àquela altura, o mesmo presidente Sarney que, nove meses antes, congelara os preços e salários, já havia ganho as eleições de 15 de novembro e, menos de uma semana depois, autorizado aumentos de 60% na gasolina, 120% nas tarifas de telefones e energia, 100% no preço das bebidas e 80% no dos automóveis. A festa acabara. Era o começo do fim do Plano Cruzado – e o início de atividades da Editora Europa.

Não foi fácil. Com uma inflação anual chegando a inacreditáveis 5.200%, a moeda brasileira, que era cruzeiro e tinha virado cruzado novo, depois voltou a cruzeiro real e, finalmente, para real, passando por uma tal de URV. Que loucura! Uma revista que custava 16.500 cruzeiros em agosto de 92, em setembro já custava Cr$ 25.000,00 (52% de aumento em três meses). Pior: o presidente Collor, eleito como esperança de redenção do povo brasileiro, confiscou o dinheiro que tínhamos no banco e acabou tendo o mandato cassado.

Agora, decorridos tantos anos, estou convencido de que só sobrevivemos graças à decisão de nunca nos afastarmos dos objetivos que definimos para a Editora Europa no primeiro dia de funcionamento, no distante e conturbado 11 de dezembro de 1986. Estes objetivos são a nossa Constituição. A nossa carta de marear. A nossa Bíblia. Estão gravados em aço inoxidável (que não “enferruja”) e pregados em lugar de destaque na recepção da Empresa. Sempre que temos alguma dúvida ou nos sentimos tentados a mudar de rumo, paramos e relemos. Tem dado certo. Para dizer a verdade, certíssimo!

Por Aydano Roriz, Sócio Fundador.

Declaração de Princípios


1 – Pesquisar o mercado editorial em busca de segmentos inexplorados ou pouco explorados.

2 – Lançar publicações inovadoras, criativas e que, realmente, satisfaçam as expectativas do público-alvo.

3 – Certificar-se de que cada cliente – tanto leitores quanto anunciantes – ao entrar em contato conosco, sinta que nosso desejo é
servi-lo, e da maneira mais cortês, rápida e eficiente possível.

4 – Desenvolver um ambiente de trabalho onde cada funcionário sinta-se motivado a contribuir ao máximo para o desenvolvimento da Empresa, por intermédio de remuneração compensadora, possibilidade de ascensão profissional e participação nos lucros da companhia.

5 – Remunerar convenientemente os acionistas, sob a forma de dividendos e aumento do patrimônio líquido.

Dinheiro com Ética


Escolhemos nos pautar por uma pesquisa da Universidade Católica de Chicago. Ao analisar 300 empresas americanas, o estudo concluiu que as corporações que tinham compromissos éticos proporcionavam aos acionistas lucros duas vezes superiores às demais. A Editora Europa é signatária do Código de Ética da ANER (Associação Nacional dos Editores de Revistas).

Código de Ética

A comissão de Ética da ANER recomenda às Editoras associadas que pautem a orientação de suas publicações pelos seguintes princípios éticos:

1 – Manter a independência editorial, trabalhando exclusivamente para o leitor.

2 – Garantir, efetivamente e sem subterfúgios, o direito de resposta aos que provarem que foram difamados, caluniados ou injustiçados.

3 – Zelar pela liberdade de expressão e pelo exercício da profissão de jornalista.

4 – Assegurar o acesso do leitor às diferentes versões de um fato e às diversas tendências de opinião da sociedade sobre esse fato.

5 – Preservar o sigilo de fontes.

6 – Respeitar o direito do indivíduo à privacidade, salvo quando esse direito constituir obstáculo à informação de interesse público.

7 – Diferenciar espaço editorial e espaço publicitário de maneira facilmente identificável pelo leitor.

8 – Defender os direitos humanos, os valores da democracia representativa e a livre iniciativa.

9 – Observar os princípios de governança corporativa e sustentabilidade.

Economia e Finanças


A Editora Europa não pára de crescer e dar lucro. Trabalhamos exclusivamente com recursos próprios. Nunca descontamos uma duplicata, nem atrasamos um pagamento. Desde 1996, a Editora Europa funciona em sede própria com 1.500m2 de área construída.

Recursos Humanos


O sucesso da Editora Europa é fruto de um persistente trabalho de valorização e reconhecimento ao trabalho do seu pessoal.

A Editora Europa paga salários bem acima da média do mercado.

Todos os funcionários, sem exceção, têm objetivos individuais que são avaliados mensalmente. Por conta de atingir ou superar os objetivos, os funcionários ganham bônus mensais.

Todos os anos, a Editora Europa distribui 28% do lucro da empresa entre os funcionários. O que mais pesa no critério de distribuição é a quantidade de pontos obtidos, por cada um, nas avaliações mensais de objetivos.

Mensalmente, por voto secreto e com base em critérios preestabelecidos, o pessoal da Editora Europa elege o melhor funcionário do mês – o chamado “Supereuropa”. O eleito ganha uma viagem de fim de semana por conta da Empresa, mais uma placa que fica exposta na recepção da Editora, e que, mais tarde, o “Supereuropa” leva consigo.