+ ver mais datas

Últimas notícias

A Arte Do Cinema: Star Wars
Desaconselhável para leitores politicamente corretos
Os Estagiários do Crime
Conspiração no Fim do Mundo
Livro sobre Bento XVI ajuda a entender a renúncia
Meu Irmão, o Papa
Elfos – Aventura e Fantasia
A Grama do Vizinho é Mais Verde
Billy Graham – A Caminho de Casa
Louca Pra Casar de Susanne Leinemann

Desaconselhável para leitores politicamente corretos

11/10/2013

Livro-bomba sobre o Brasil de hoje estreia em inglês na Frankfurt Book Fair e em português, nas livrarias de todo o País, a partir de 11 de outubro

Autor de grandes romances históricos – como O Fundador, Nova Lusitânia e da trilogia Livro dos Hereges –, Aydano Roriz subverte as expectativas e lança Rigoletto: uma sátira do Brasil de 2012, embalada como um thriller.
Nas páginas iniciais o autor avisa: “Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com países e instituições, empresas, marcas ou pessoas, vivas ou mortas, é mera coincidência”. Portanto, brasileiros mal-educados, roubalheira quase institucionalizada e “leis feitas por bandidos para proteger bandidos” são meras coincidências. Idem para políticos de alto coturno, como “o Chefão” e “Number Two”, que permeiam a trama.
Independente das “coincidências”, ainda que fosse apenas um thriller, Rigoletto já seria um romance inusitado. Imagine um navio equivalente a um hotel de três estrelas, em final de temporada, fazendo um cruzeiro de travessia de Santos para Gênova. Ponha neste navio um comandante holandês sessentão, oficiais italianos destrambelhados, tripulação dos quatro cantos do mundo e mais de 2.000 brasileiros “emergentes” como passageiros. Com o Rigoletto em alto-mar, um serial killer começa a fazer o seu serviço, de forma bem criativa e sem deixar pistas. Até a terceira página do livro, já se contam dois mortos a bordo. Coitado do comandante! No meio do oceano, a quem ele pode recorrer?
Com mais de 300 dias de cruzeiros, acumulados em diferentes navios, de variadas empresas, a experiência pessoal e as pesquisas de Aydano Roriz tornam Rigoletto uma obra reveladora sobre os bastidores dos navios de recreio. Aliás, por envolver personagens de nacionalidades diferentes, para melhor caracterização, às vezes ele se permite usar palavras e expressões em língua estrangeira. Em todo o caso, cuidou de colocar ao final do livro um Glossário. Um miniguia de gírias e expressões idiomáticas do italiano, inglês, francês... até mesmo do holandês.
Com texto envolvente, cenas realistas e às vezes picantes, Rigoletto é uma aventura que dosa, na medida certa, suspense, política e humor. Ainda assim, muita gente pode vestir a carapuça e odiar Rigoletto. Por isso mesmo, para que não se sintam enganados, o autor já avisa na capa: “Desaconselhável para leitores politicamente corretos”.

Sobre o autor
Nascido em Juazeiro, Bahia, em 1949, Aydano Roriz cresceu em Salvador, mudou-se para São Paulo em 1972, onde trabalhou em revistas por mais de 30 anos. Em 2005, para melhor se dedicar à escrita, foi viver na Ilha da Madeira, Atlântico Norte, a 1.000 km de Lisboa. Rigoletto é o seu oitavo romance.

Sobre a Editora Europa
Fundada em 1986 e atualmente com mais de 100 funcionários, a Editora Europa é uma empresa de capital 100% brasileiro. Publica regularmente 16 revistas segmentadas, guias, livros ilustrados e, mais recentemente, literatura.

Ficha Técnica
Título: Rigoletto
Autor: Aydano Roriz
Editora Europa
Páginas: 740
Formato: 16x23 cm
Preço: R$ 54,90

Onde encontrar: nas melhores livrarias do País, no site www.europanet.com.br, pelos telefones 0800 8888 508 ou (11) 3038-5050 (São Paulo capital). Disponível também em versão digital na AmazonKindle, iBookstore, Saraiva Reader, Kobo e Google Play.

Para baixar o midia kit, contendo os releases, a foto de capa do livro em português e inglês, clique aqui